O Terço da Misericórdia - Nossa Senhora das Graças

O Terço da Misericórdia

Publicado por

O Terço da Misericórdia

Foi na Festa da Exaltação da Santa Cruz, dia 14 de setembro de 1935  que Nosso Senhor apareceu a Santa Faustina Kowalska e lhe apresentou uma poderosa oração: o terço da Misericórdia. Com efeito, o mundo vivia anos difíceis. Uma nova guerra se preparava e explodiria em breve. Inegavelmente, na Espanha, mais de 12 mil religiosos eram mortos durante a guerra civil.

Não só Santa Faustina rezava, mas também sentia-se impotente ao tentar pedir pela humanidade diante daquele panorama nascido pela falta de fé e pelos pecados de todos os povos. Foi quando o próprio Jesus veio em seu socorro ensinando-lhe uma oração de súplica e de reparação para aplacar a ira divina.

Assim, ela registra em seu diário as palavras do Divino Salvador: “Tu a recitarás (…) por meio do terço do rosário, da seguinte maneira: Primeiro dirás o Pai-Nosso, a Ave-Maria e o Creio. Depois, nas contas do Pai-Nosso, dirás as seguintes palavras: “Eterno Pai, eu Vos ofereço o Corpo e o Sangue, a Alma e a Divindade de Vosso diletíssimo Filho, Nosso Senhor Jesus Cristo, em expiação dos nossos pecados e dos do mundo inteiro”. Nas contas da Ave-Maria rezarás as seguintes palavras: “Pela Sua dolorosa Paixão, tende misericórdia de nós e do mundo inteiro”. No fim, rezarás três vezes estas palavras: “Deus Santo, Deus Forte, Deus Imortal, tende piedade de nós e do mundo inteiro”(D. 474 e 476).

>>>Clique agora e receba em sua casa a Medalha Milagrosa<<<

Santa Faustina continua: “O Senhor me disse para rezar o Terço da Misericórdia por nove dias antes da Festa da Misericórdia. Devo começar na Sexta-feira Santa” (D. 796). Entretanto, o próprio Cristo pede à Santa que o recite sempre: “Recita, sem cessar, este Terço que te ensinei” (D. 687, cf. 714, 851).

Promessas de Nosso Senhor a quem reza o terço da Misericórdia

  1. “As almas que rezarem este Terço serão envolvidas pela Minha misericórdia durante a sua vida (…) (D. 754); Oh! que grandes graças concederei às almas que recitarem este Terço. As entranhas da Minha misericórdia comovem-se por aqueles que recitam este Terço (D. 848); Minha filha, exorta as almas a rezarem esse Terço que te dei. Pela recitação desse Terço agrada-Me dar tudo o que Me peçam (D. 1541) se (…) estiver de acordo com a Minha vontade (D. 1731).
  2. Todo aquele que o recitar alcançará grande misericórdia na hora da sua morte (D. 687; cf. 754; 1541);
  3. Pela recitação desse Terço aproximas a humanidade de Mim (D. 929);
  4. Os sacerdotes o recomendarão aos pecadores como a última tábua de salvação. Ainda que o pecador seja o mais empedernido, se recitar esse Terço uma só vez, alcançará a graça da Minha infinita misericórdia. (D. 687); Quando os pecadores empedernidos o recitarem, encherei de paz as suas almas (…) (D. 1541).
  5. Na hora da morte defenderei como Minha glória toda alma que recitar esse Terço, ou quando outros o recitarem junto a um agonizante — eles conseguirão a mesma indulgência. Quando recitam esse Terço junto a um agonizante, aplaca-se a ira de Deus, uma inconcebível misericórdia envolve a alma e abrem-se as entranhas da Minha misericórdia, pela dolorosa Paixão do Meu Filho (D. 811; cf. 810; 834; 1035; 1036; 1541; 1565; 1797).
>>>Clique agora e receba em sua casa a Medalha de São Bento<<<

Categorizados em: ,

Este artigo foi escrito porRodrigo Freitas