São Bento, milagres e exorcismos

São Bento, milagres e

exorcismos

Durante a sua vida, São Bento manifestou especiais dons sobrenaturais, tais como: o poder de ler o pensamento de seus discípulos – a ponto de descobrir faltas cometidas na sua ausência – a capacidade de curar os males do corpo e da alma, o carisma de exorcizar os demônios e o dom da profecia.

O pão e o vinho envenenados

Certa vez, o maligno procurou colocar uma armadilha no caminho de São Bento. Um sacerdote que vivia perto de um dos mosteiros se consumia pela inveja: ele queria para si a admiração que todos devotavam ao santo Abade. Enviou-lhe, então, um pão envenenado.

Alertado por uma revelação divina, o servo de Deus escapou da morte, ordenando que um corvo tomasse consigo o pão e o levasse para bem longe.

Em outra ocasião, o santo recebeu um convite de monges de um mosteiro, cujo superior havia falecido. Os religiosos pediram para que São Bento viesse morar com eles e os dirigisse. Mas eles logo se arrependeram: há muitos anos estavam acostumados a viver de forma relaxada, preguiçosa e despreocupada, e não se adaptaram à disciplina ensinada pelo santo. Ele restaurou ali o espírito autêntico da vida monástica: austeridade, trabalho manual, estudo e oração. Porém, os monges queriam uma “vida fácil”. Tomados pelo ódio, eles tramaram a morte do santo: certo dia, lhe serviram vinho envenenado. No entanto, bastou que São Bento fizesse o sinal da cruz sobre o cálice para que este se desfizesse em pedaços.

Obediência de São Mauro

Um dia, enquanto São Bento estava no mosteiro, um monge jovem chamado Plácido foi a um bonito lago, mas como não teve cuidado, escorregou e caiu na água. São Bento teve uma visão do que acontecia com ele e ordenou a outro monge, Mauro, dizendo: “Corre, irmão Mauro, que o menino caiu no lago”.

Rapidamente São Mauro pede a bênção e se dirige ao lago à procura do jovem monge. Assim que chegou, ocorreu algo impressionante: crendo que caminhava sobre as rochas, continuou andando sobre o lago e, segurando o menino pelos cabelos, trouxe-o de volta para terra firme. Estando em local seguro percebeu que milagrosamente havia caminhado sobre as águas!

Oração da Medalha de São Bento

Assim como São Bento, em sua vida terrena, escapou de seus inimigos, nós também podemos pedir a proteção dele contra os males que nos ameaçam. Neste sentido, podemos rezar a oração cujas iniciais estão gravadas na famosa Medalha de São Bento.

Num dos lados da medalha está a santa cruz. Este símbolo recorda o amor imenso de Jesus Cristo por nós e afugenta os demônios. Na haste vertical da cruz, as letras CSSML

significam: Crux sacra sit mihi lux (Que a Santa Cruz seja a minha luz). Na haste horizontal está escrito NDSMD: Non draco sit mihi dux (Que o demônio não seja o meu guia).

Ao redor da Medalha, a inscrição VRS. NSMV. SMQL. IVB é formada pelas inicias das palavras da fórmula de exorcismo de São Bento (Vade retro Satana, nunquam suade mihi vana. Sunt mala quae libas, ipse venena bibas) que em português quer dizer:

Afasta-te Satanás / Não me sugiras tuas vaidades / É mau o que me dás / Beba teu próprio veneno.

Como vemos, as inscrições da medalha indicam que a vitória sobre o demônio é atribuída à cruz de Jesus Cristo, que é a nossa luz e guia, a qual se opõe ao veneno e à maldade do maligno.

São Bento, milagres e

exorcismos

Durante a sua vida, São Bento manifestou especiais dons sobrenaturais, tais como: o poder de ler o pensamento de seus discípulos – a ponto de descobrir faltas cometidas na sua ausência – a capacidade de curar os males do corpo e da alma, o carisma de exorcizar os demônios e o dom da profecia.

O pão e o vinho envenenados

Certa vez, o maligno procurou colocar uma armadilha no caminho de São Bento. Um sacerdote que vivia perto de um dos mosteiros se consumia pela inveja: ele queria para si a admiração que todos devotavam ao santo Abade. Enviou-lhe, então, um pão envenenado.

Alertado por uma revelação divina, o servo de Deus escapou da morte, ordenando que um corvo tomasse consigo o pão e o levasse para bem longe.

Em outra ocasião, o santo recebeu um convite de monges de um mosteiro, cujo superior havia falecido. Os religiosos pediram para que São Bento viesse morar com eles e os dirigisse. Mas eles logo se arrependeram: há muitos anos estavam acostumados a viver de forma relaxada, preguiçosa e despreocupada, e não se adaptaram à disciplina ensinada pelo santo. Ele restaurou ali o espírito autêntico da vida monástica: austeridade, trabalho manual, estudo e oração. Porém, os monges queriam uma “vida fácil”. Tomados pelo ódio, eles tramaram a morte do santo: certo dia, lhe serviram vinho envenenado. No entanto, bastou que São Bento fizesse o sinal da cruz sobre o cálice para que este se desfizesse em pedaços.

Obediência de São Mauro

Um dia, enquanto São Bento estava no mosteiro, um monge jovem chamado Plácido foi a um bonito lago, mas como não teve cuidado, escorregou e caiu na água. São Bento teve uma visão do que acontecia com ele e ordenou a outro monge, Mauro, dizendo: “Corre, irmão Mauro, que o menino caiu no lago”.

Rapidamente São Mauro pede a bênção e se dirige ao lago à procura do jovem monge. Assim que chegou, ocorreu algo impressionante: crendo que caminhava sobre as rochas, continuou andando sobre o lago e, segurando o menino pelos cabelos, trouxe-o de volta para terra firme. Estando em local seguro percebeu que milagrosamente havia caminhado sobre as águas!

Oração da Medalha de São Bento

Assim como São Bento, em sua vida terrena, escapou de seus inimigos, nós também podemos pedir a proteção dele contra os males que nos ameaçam. Neste sentido, podemos rezar a oração cujas iniciais estão gravadas na famosa Medalha de São Bento.

Num dos lados da medalha está a santa cruz. Este símbolo recorda o amor imenso de Jesus Cristo por nós e afugenta os demônios. Na haste vertical da cruz, as letras CSSML

significam: Crux sacra sit mihi lux (Que a Santa Cruz seja a minha luz). Na haste horizontal está escrito NDSMD: Non draco sit mihi dux (Que o demônio não seja o meu guia).

Ao redor da Medalha, a inscrição VRS. NSMV. SMQL. IVB é formada pelas inicias das palavras da fórmula de exorcismo de São Bento (Vade retro Satana, nunquam suade mihi vana. Sunt mala quae libas, ipse venena bibas) que em português quer dizer:

Afasta-te Satanás / Não me sugiras tuas vaidades / É mau o que me dás / Beba teu próprio veneno.

Como vemos, as inscrições da medalha indicam que a vitória sobre o demônio é atribuída à cruz de Jesus Cristo, que é a nossa luz e guia, a qual se opõe ao veneno e à maldade do maligno.