Medalha Milagrosa

“Adorar significa sentir-nos pequenos diante de um Deus tão grande”, diz Bispo de Novo Hamburgo

Novo Hamburgo - Rio Grande do Sul (Segunda-Feira, 29/12/2014, Gaudium Press) "Natal é convite para uma vida nova" é o título do artigo de Dom Zeno Hastenteufel, Bispo da Diocese de Novo Hamburgo, no Estado do Rio Grande do Sul. Nele, o Prelado afirma que no contexto de nossa Missão o nosso Natal adquire um significado novo, na medida em que nos damos conta de que o mesmo Jesus, que nasceu na noite histórica do primeiro natal, é o próprio Jesus que deu a sua vida para nos salvar.

Além disso, o Bispo ressalta que é Ele o mesmo Cristo que ressuscitou ao terceiro dia e que continua vivo e presente na Eucaristia, em nossos sacrários, garantia e penhor de nossa futura ressurreição. Segundo Dom Zeno, nos grandes presépios das praças, nos presépios de nossas igrejas e no pequeno presépio de nossa casa, há um menino deitado numa manjedoura, o que representa o autêntico sinal da noite de natal.

"Mas é sempre uma imagem de gesso, madeira ou pedra. Tem apenas a finalidade de nos lembrar do Salvador que, num passado de dois mil anos, se fez criança para poder vir ao mundo através de um instrumento humano que foi Maria. Na Eucaristia, temos o Cristo vivo e ressuscitado, numa presença real, no modo sacramental, onde podemos nos colocar em diálogo com Ele. Ali podemos nos ajoelhar e adorar, com a convicção de que estamos adorando o nosso Deus verdadeiro, Salvador do mundo e Redentor de toda a humanidade", acrescenta.

Ainda de acordo com o Bispo, na Eucaristia não está apenas uma imagem que evoca o passado e nos faz lembrar que algo aconteceu. Ele explica que ali temos o Cristo vivo hoje, com o qual estamos comprometidos desde o nosso batismo e temos uma aliança que nos compromete a participar sempre das missas e celebrações de todos os domingos, quando celebramos o próprio Dia do Senhor, dia especial para o Cristo Ressuscitado.

"Diante da Eucaristia, prostramo-nos de joelhos e nos colocamos em adoração. Adorar significa sentir-nos pequenos diante de um Deus tão grande, que está vivo e presente, escondido nas espécies do pão consagrado. Por tudo isto, nós nos ajoelhamos diante do Sacrário e não nos ajoelhamos diante de uma imagem que está no presépio", avalia.

Por fim, Dom Zeno salienta que no Natal nós nos alegramos não pelo fato do passado que aconteceu, mas pelo Cristo vivo, hoje presente entre nós e que nos convida a uma comunhão de amor e a uma alegre convivência, no compromisso da fé e da vivência cristã, que deseja novamente priorizar a celebração digna do domingo, como o dia do Senhor.

"Quem realmente procura compreender o profundo mistério desta presença real do Senhor, passa pela Noite de Natal e entra para o novo ano, que se aproxima, com as célebres palavras dos magos, que vieram do longínquo Oriente, dizendo: ‘viemos para adorá-lo' (Mt 2,2). Feliz Natal a todos aqueles que têm vontade de começar uma vida nova e a coragem para dar o primeiro passo", conclui. (FB)

Gaudium Press

Gostou desta página? Então comente e participe da nossa família! Se ainda não é usuário, basta se cadastrar. É simples, rápido e gratuito! Se já é usuário, basta fazer seu login.