Medalha Milagrosa

As interessantes estatísticas dos novos sacerdotes nos Estados Unidos

Washington - Estados Unidos (Terça-feira, 20-05-2014, Gaudium Press) Um indicador de muitos detalhes da vida da Igreja em todos os países é o perfil dos seminaristas que completam seu processo de formação e se convertem nos novos sacerdotes. Para os Estados Unidos, a geração de sacerdotes de 2014 fornece uma perspectiva interessante: uma elevada porcentagem de clérigos passou por escolas e universidades católicas e 15 por cento tem origem ou ascendência hispano-americana. Além disso, a grande maioria das pessoas que concluíram com êxito sua formação ao sacerdócio já frequentavam a Adoração Eucarística e rezavam o Santo Rosário antes de entrar no Seminário.

Foto: Gaudium Press

As estatísticas foram reveladas no último dia 15 de maio pela Conferência dos Bispos Católicos dos Estados Unidos (USCCB), que destacou o papel da educação católica no fomento das vocações sacerdotais. Estima-se que a metade dos ordenados desta geração estudou em uma escola primária católica, 41 por cento em uma escola católica e 45 por cento em uma universidade com esta identidade. O estudo lança estes resultados foi feito pelo Centro de Pesquisa Aplicada ao Apostolado da Universidade de Georgetown. O questionário de estudo foi respondido por 77 por cento dos ordenandos.

"Necessitamos de mais sacerdotes hispanos"

O Presidente do Comitê sobre o Clero, a Vida Consagrada e as Vocações da USCCB, Dom Michael F. Burbidge, descreveu os resultados como "motivadores" e afirmou que o número de novos sacerdotes em índices satisfatórios enquanto que a qualidade dos mesmos é elevado. "No entanto, necessitamos de mais sacerdotes especialmente da comunidade hispânica", declarou o Bispo. A Igreja nos Estados Unidos considera a necessidade de sacerdotes uma prioridade na qual se enfocam diversos esforços na vida da Igreja. "Motivamos a todos os fiéis a orar por essas intenções especiais", concluiu.

Outros resultados de interesse incluem a idade média dos novos sacerdotes (32 anos) e o elevado número de estrangeiros (31 por cento). Os países que mais contribuem para o clero americano neste sentido são México, Vietnã, Colômbia, Polônia e Filipinas. Embora o percentual seja ainda alto, representa um declínio constante desde o seu pico em 2003 (38 por cento). A grande maioria são católicos de nascimento, com apenas nove por cento de convertidos de outras religiões, em sua maioria protestantes.

54 por cento dos novos sacerdotes terminou seus estudos superiores antes de ingressar no Seminário e 16 por cento obtiveram a sua graduação. Cerca de 26 por cento iniciaram seu processo no seminário, apesar de ter a dívida de um crédito de estudos na Universidade. Um terço da geração afirmou ter recebido o primeiro chamado para o sacerdócio em sua infância na escola primária, um quarto fez durante o bacharelado e um quinto o fez na universidade. 70 por cento relatou ter praticado assiduamente da recitação do Santo Rosário e a Adoração Eucarística antes de entrar no Seminário. (GPE/EPC)

Gaudium Press 

Gostou desta página? Então comente e participe da nossa família! Se ainda não é usuário, basta se cadastrar. É simples, rápido e gratuito! Se já é usuário, basta fazer seu login.