Medalha Milagrosa

Papa recebe sete mil membros da Ação Católica Italiana

Cidade do Vaticano, 03 mai 2014 (RV) – O Papa Francisco concluiu sua série de audiências, na manhã deste sábado, recebendo, na Sala Nervi, no Vaticano, cerca de sete mil membros da Ação Católica Italiana, na conclusão da sua 15ª Assembléia, iniciada no último dia 30 de abril, em Roma.

Em seu discurso aos numerosos presentes, o Santo Padre deu as boas vindas a esta bela realidade eclesial e cumprimentou os responsáveis, os representantes paroquiais, os sacerdotes assistentes e os amigos da Ação Católica de outros países.

A seguir, partindo do tema da Assembléia destes dias “Pessoas novas, em Cristo Jesus, corresponsáveis da alegria de viver”, o Bispo de Roma disse que este tema se insere no atual tempo pascal. Trata-se da alegria dos discípulos, que encontram Cristo ressuscitado. E o Papa contextualizou:

“No atual contexto social e eclesial, vocês, leigos da Ação Católica, são chamados a renovar a ação missionária, aberta aos horizontes que o Espírito indica à Igreja, como expressão de uma nova juventude do apostolado laical. As paróquias precisam do seu entusiasmo apostólico, da sua plena disponibilidade e do seu serviço criativo”.

Isto significa, explicou o Pontífice, assumir o dinamismo missionário para que atinja a todos, sobretudo os que estão mais distantes e os mais fracos, esquecidos pela sociedade. Trata-se de abrir as portas para deixar Jesus sair pelas ruas.

Este estilo de evangelização, ponderou o Papa, animado por uma forte paixão pela vida das pessoas, é bem apropriado à Ação Católica, composta pelo laicado diocesano, que trabalha, em íntima comunhão com os pastores, para a transformação da sociedade. Aqui, o Papa Francisco propôs três atitudes para o caminho da Ação Católica: permanecer, ir e alegra-se:

“Convido-os a permanecer com Jesus, aproveitando da sua companhia e sendo seus anunciadores e testemunhas; a ir pelas estradas do mundo, anunciando, com esperança, que Deus é Pai, que conhecemos por meio Jesus; por fim, a alegrar-se e exultar sempre no Senhor, cantando a fé e a vida, como corresponsáveis da missão da sua Igreja”.

Com estas três atitudes, concluiu o Papa, os membros da Ação Católica poderão levar adiante a sua vocação, evitando a tentação da inércia, do fechamento, do intimismo e da seriedade formal, que não são consoantes às pessoas chamadas por Jesus na propagação da alegria evangélica. (MT)

Rádio Vaticano

Gostou desta página? Então comente e participe da nossa família! Se ainda não é usuário, basta se cadastrar. É simples, rápido e gratuito! Se já é usuário, basta fazer seu login.