Medalha Milagrosa

Papa: no Natal nos fará bem um pouco de silêncio para ouvir Deus

silencio.jpg
 photo credit: Madasor via photopin cc

Cidade do Vaticano, 12 dez 2013 (RV) - Preparando-nos para o Natal nos fará bem fazer um pouco de silêncio para ouvir Deus que nos fala com a ternura de um pai e de uma mãe: essa é a síntese do que o Papa Francisco disse na Missa presidida na Casa Santa Marta nesta segunda quinta-feira do Advento.

Inspirado na leitura do profeta Isaías, o Papa sublinha não tanto “o que diz o Senhor, mas “como ele diz”. Deus fala a nós como fazem um pai e uma mãe com seu filho:

“Quando a criança faz um sonho ruim, ela acorda, chora... o pai vai e diz: não tenha medo, não tenha medo, eu estou aqu. Assim nos fala o Senhor. ‘Não tenha medo, verme de Jacó, larva de Israel’. O Senhor tem esse jeito de nos falar: se aproxima ... Quando olhamos para um pai ou uma mãe que falam com seu filho, vemos que eles se tornam pequenos e falam com a voz de uma criança e fazem gestos de crianças. Quem olha de fora pode pensar: mas eles são ridículos! Tornam-se pequenos, ali mesmo, não é? Porque o amor de pai e de mãe tem necessidade de se aproximar, eu digo esta palavra: de abaixar-se precisamente ao mundo da criança. É, sim: se o pai e a mãe falam com ele normalmente, a criança vai entender certamente; mas eles querem tomar o modo de falar da criança. Eles se aproximam, e se fazem crianças. E assim é o Senhor”.

Os teólogos gregos - recorda o Papa - explicavam este comportamento de Deus com “uma palavra muito difícil: a synkatábasi”, ou “a condescendência de Deus que desce para se tornar como um de nós”:

“E então, o pai e mãe dizem também coisas um pouco ridículas à criança: 'Oh, meu amor, brinquedo meu ...', e todas essas coisas. Também o Senhor diz: ‘pequeno verme de Jacó’, você é como um pequeno verme para mim, uma coisinha pequena, mas eu amo muito você’. Esta é a linguagem de Deus, a linguagem do amor, de pai, de mãe. Palavra do Senhor? Sim, vamos ouvir o que ele diz. Mas vamos ver como ele diz. E nós devemos fazer o que o Senhor faz, fazer o que ele diz e fazer como ele diz: com amor, com ternura, com a condescendência para com os irmãos”.

Deus, - explica o Papa Francisco citando o encontro de Elias com Deus - é como a “brisa suave”, ou - como diz o texto original – ‘um fio sonoro do silêncio”: assim “se aproxima o Senhor, como o murmúrio do silêncio próprio do amor. Sem fazer espetáculo”. “E se faz pequeno para fazer-me forte; Ele vai para a morte, com a condescendência, para que eu viva”:

“Essa é a música da linguagem do Senhor, e nós na preparação para o Natal devemos ouvi-la: nos fará bem ouvi-la, nos fará muito bem. Normalmente, o Natal parece um festa com muito barulho: nos fará bem fazer um pouco de silêncio e ouvir essas palavras de amor, essas palavras de proximidade, essas palavras de ternura ... ‘Você é um pequeno verme, mas eu amo muito você!’. Por isso, vamos fazer silêncio, neste tempo em que, como diz o prefácio, estamos vigilantes à espera”. (SP)

Rádio Vaticano

Gostou desta página? Então comente e participe da nossa família! Se ainda não é usuário, basta se cadastrar. É simples, rápido e gratuito! Se já é usuário, basta fazer seu login.