Medalha Milagrosa

Papa na Casa Santa Marta: a Paixão de Cristo e a doçura de Maria nos ajudam a viver o Evangelho

Paixao de Cristo.jpg
 photo credit: Víktorin via photopin cc

Cidade do Vaticano, 12 set 2013 (RV) - “A humanidade sofredora” de Jesus e a “doçura” de Maria. São os dois polos sobre os quais o cristão deve se concentrar para conseguir viver o que pede o Evangelho. Foi o que disse o Papa na homilia desta manhã presidida na Casa Santa Marta.

O Evangelho é exigente, pede atitudes fortes para um cristão: capacidade de perdoar, magnanimidade, amor pelos inimigos... Há um único modo para conseguir colocá-lo em prática: contemplar a Paixão, a humanidade de Jesus, e imitar o comportamento de sua Mãe. E a Nossa Senhora, de quem hoje a Igreja festeja o “Santo Nome”, o Papa Francisco dedicou o primeiro pensamento da homilia. Antigamente, disse ele, a festa de hoje era comemorada como o “doce Nome de Maria”. A definição mudou, mas permanece a doçura do seu nome”:

“Precisamos da doçura hoje de Nossa Senhora para entender essas coisas que Jesus nos pede, não? Porque é uma lista que não é fácil de viver. Amar os inimigos, fazer o bem, fazer sem esperar nada em troca, oferecer a outra face... coisas fortes que, a seu modo, foram vividas por Nossa Senhora... é a graça da humildade e da mansidão.”

Para nos preparar para realizar esses gestos, disse o Papa, não podemos contar somente com o nosso esforço, mas com uma graça:

Pensar em Jesus. Só isso. Se o nosso coração, a nossa mente está com Jesus, o triunfador, aquele que venceu a morte, o pecado, o demônio, tudo, podemos fazer o que ele nos pede. Mas se não olharmos para Ele, se não estivermos com Ele, nada podemos. É uma graça: a graça que vem da contemplação de Jesus.

Em especial, prosseguiu Francisco, há um aspecto da vida de Jesus para a qual a contemplação do cristão deve se voltar: a sua Paixão, a sua “humanidade sofredora”:

“Pensar no seu silêncio humilde: este será nosso esforço. Ele fará todo o resto. Ele fará tudo o que falta. Não existe outra estrada. É a única. Para sermos bons cristãos, é preciso contemplar a humanidade de Jesus e a humanidade sofredora. Para perdoar, para não odiar o próximo, para não fofocar contra o próximo, contemplemos Jesus sofredor. Vivamos nossa vida com Cristo em Deus: este é o conselho que nos dá o Apóstolo Paulo. É o conselho para nos tornar humildes, mansos, bons, magnânimos e ternos.” (BF)

Rádio Vaticano

Gostou desta página? Então comente e participe da nossa família! Se ainda não é usuário, basta se cadastrar. É simples, rápido e gratuito! Se já é usuário, basta fazer seu login.