Medalha Milagrosa

Assessora da CNBB recebe medalha no dia Mundial Humanitário

Nas comemorações do Dia Mundial Humanitário, em 19 de agosto, o governo brasileiro realizou a entrega da “Medalha Sérgio Vieira de Melo”. Trata-se de um reconhecimento para pessoas que atuam na promoção da causa humanitária e da paz. A Ir. Rosita Milesi, coordenadora do setor Pastoral da Mobilidade Humana da CNBB, foi uma das homenageadas.

A cerimônia de entrega foi realizada no Rio de Janeiro. Na ocasião, a subsecretária-geral das Nações Unidas para Assuntos Humanitários, Valerie Amos, cumprimentou Ir. Rosita, agradecendo por sua dedicação à causa humanitária dos refugiados, imigrantes e direitos humanos. “Nossa fé se renova e a vontade de seguir atuando incansavelmente se fortalece na certeza de que Deus caminha com seu povo e servi-lo é cumprir o mandato do Senhor que quer ver todas as pessoas com vida plena, respeitadas em sua dignidade humana”, disse a religiosa na ocasião.

Ir. Rosita é a responsável pelo Instituto Migrações e Direitos Humanos, que é parceiro do Alto Comissariado das Nações Unidas para Refugiados e do Comitê Nacional para Refugiados na atenção, assistência humanitária e integração de Migrantes e Refugiados no Brasil. O Instituto dedica-se a esta causa e colabora com organizações governamentais e não governamentais na reflexão em torno destes temas, na implementação de políticas públicas e na inclusão e inserção social desta população que busca proteção, segurança, uma simples oportunidade de trabalhar e sustentar sua família, ter um lar, uma pátria que as acolha em condições dignas.

Medalha Sérgio Vieira de Melo

No dia 19 de agosto de 2003, um atentado à sede da Organização das Nações Unidas (ONU) em Bagdá matou 22 pessoas, entre elas o brasileiro Sérgio Vieira de Mello, Alto Comissário das Nações Unidas para os Direitos Humanos e então chefe da representação da ONU no Iraque. Sérgio dedicou sua vida ao trabalho em prol de uma solução para as situações de genocídio, êxodos e todo tipo de conflitos, em missões humanitárias e de paz em muitos países (entre eles, Paquistão, Bangladesh, Sudão, Cipros, Moçambique, Timor Leste, Peru). Enviado ao Iraque com uma equipe de especialistas, a missão de Sérgio consistia em desenvolver e planejar a forma de reconstruir o país e devolver a soberania ao povo, conseguindo apenas em parte realizar sua missão, devido à morte prematura ocorrida no ataque à sede das ONU naquele país.

A Assembleia Geral das Nações Unidas, em sua sessão plenária de 11 de dezembro de 2008, designou 19 de agosto o Dia Mundial Humanitário para homenagear todos os trabalhadores humanitários e quem atua na promoção da causa humanitária e da paz. O governo brasileiro, recordando o legado de Sérgio Vieira de Mello, instituiu a medalha com o objetivo de ressaltar e reconhecer a importância do trabalho humanitário.

Neste ano de 2013, o Ministério das Relações Exteriores, resposável pela comenda, homenageou 9 pessoas e 2 entidades. Além da Ir. Rosita, também foi realizada entregue uma medalha post mortem à fundadora da Pastoral da Criança e da Pastoral do Idoso, Dra. Zilda Arns Neumann.

Fonte e foto: CNBB

Gostou desta página? Então comente e participe da nossa família! Se ainda não é usuário, basta se cadastrar. É simples, rápido e gratuito! Se já é usuário, basta fazer seu login.