Medalha Milagrosa

Escritor inglês poderá ser beatificado

Gilbert Keith.jpgLondres, 16 ago 2013 (RV) – O escritor inglês Gilbert Keith Chesterton (1874-1936) poderá ser beatificado. No início deste mês, o Bispo britânico Dom Peter Haworth Doyle nomeou um sacerdote para analisar a possibilidade de beatificação do escritor, ensaísta e jornalista, que converteu-se ao catolicismo em 1922 e cujas obras influenciaram muitos autores, assim como a conversão de muitas pessoas.

Foi o Presidente da American Chesterton Society, Dale Ahlquist, quem fez o anúncio, em 1º de agosto: "Para mim, é um grande privilégio poder fazer este anúncio – declarou Ahlquist –, até porque Dom Doyle lembrou que, quando o Cardeal Bergoglio era Arcebispo de Buenos Aires, ele mostrou-se favorável à abertura da causa".

Dom Doyle é bispo da Diocese de Northampton, uma sede sufragânea da Arquidiocese de Westminster, que inclui os condados de Northamptonshire e Bedfordshire, assim como o tradicional condado de Buckinghamshire.

Gilbert Keith Chesterton (1874-1936) é um dos escritores ingleses mais citados do mundo. Os seus livros são muito conhecidos. Entre eles está Ortodoxia, O homem eterno, A aventura de um homem vivo, São Tomás de Aquino, São Francisco de Assis, assim como toda a série de contos do sacerdote-detetive Padre Brown. Em particular, é muito conhecido o livro A minha fé, onde ele fala de sua conversão ao catolicismo. Os seus textos são caracterizados, entre outros, pela constante ligação entre a fé e a razão. Os escritos de Chesterton foram determinantes na conversão de muitas pessoas e influenciaram positivamente tantos grandes homens do século XX.

Entre os seus amigos (e admiradores) está o escritor e filólogo britânico Clive Staples Lewis. Mas também foram influenciados por ele John Ronald Reuel Tolkien, autor de O Senhor dos Anéis e de outros célebres "marcos" do gênero fantástico, como O Hobbit e O Silmarillion.

Ele também foi fonte de inspiração para o literato, dramaturgo, poeta e jornalista Maurice Baring, para o historiador Christopher Henry Dawson, para o teólogo Mons. Ronald Knox e para autores agnósticos como o grande escritor argentino Jorge Luis Borges.

O presidente da American Chesterton Society recordou também a influência que Chesterton teve sobre o Servo de Deus e Arcebispo norte-americano Fulton John Sheen, entre os mais eficazes e brilhantes pregadores do seu tempo. "Penso que Chesterton realmente é um santo do nosso tempo e poderia continuar atraindo muitas pessoas à Igreja Católica". (JE)

Rádio Vaticano

Gostou desta página? Então comente e participe da nossa família! Se ainda não é usuário, basta se cadastrar. É simples, rápido e gratuito! Se já é usuário, basta fazer seu login.