Medalha Milagrosa

“Não tenho ouro, nem prata, trago Jesus Cristo”

Rio de Janeiro, 23 jul 2013 (Gaudium Press) A chegada do Papa Francisco ao Brasil foi o fato mais marcantes na tarde de ontem, 22. No Palácio da Guanabara, no Rio de Janeiro, durante sua homilia, ele afirmou ter aprendido que "para ter acesso ao povo brasileiro, é preciso ingressar no portal do seu imenso coração."

Papa realizando homilía no Palácio de Guanabara

Papa realizando a sua homilia no Palácio da Guanabara, no Rio de Janeiro | Foto: Fernanda Sales

Ao pedir "licença" aos brasileiros, o Santo Padre explica que gostaria de se encontrar presente em cada coração:


"Peço licença para entrar e transcorrer nesta semana com vocês. Não tenho ouro, nem prata, mas trago o que mais precioso me foi dado: Jesus Cristo. Venho em seu nome para alimentar a chama de amor fraterno que arde em cada coração e desejar a todos, e a cada um, a minha saudação: A paz de Cristo esteja com vocês."

Nos primeiros minutos de seu discurso, o Papa Francisco saudou e agradeceu o acolhimento que recebeu das autoridades do Estado e governantes presentes no Palácio. Ele lembrou também seus "irmãos no episcopado, sobre a tarefa de guiar o rebanho de Deus neste imenso país e tuas amadas igrejas particulares."

"Continuar a missão pastoral" foi o que Francisco falou aos presentes, "confirmando os seus irmãos na fé em Cristo e animando-os a testemunhar as razões da esperança" provindas de Deus.

O motivo principal de sua visita ao Brasil, como o próprio Papa Francisco informou, se dá por ocasião a Jornada Mundial da Juventude (JMJ), e seu objetivo é "encontrar os homens que vieram de todo o mundo, atraídos pelos braços abertos do Cristo Redentor" e que desejam ouvir do Senhor "o seu potente e claro chamado: "Ide e fazei discípulos entre todas as nações."

Sobre os peregrinos, vindos de diversos países para o Rio de Janeiro, palco da JMJ, o Vigário de Cristo revela que "são portadores de variadas culturas, que todavia, em Cristo, encontram as respostas para suas mais altas inspirações" e "que podem saciar a fome de verdade, límpida e de amor autêntico."

Na homilia, o Papa afirmou sobre os jovens: "Cristo abre espaço para eles, pois sabe que energia alguma pode ser mais potente do que aquela que se desprende do coração dos jovens, quando conquistados pela experiência de sua amizade. Cristo bota fé nos jovens e confia o futuro de sua própria causa: Ide e fazei discípulos, ide para além das fronteiras do que é humanamente possível, criando um mundo de irmãos. Também os jovens botam fé em Cristo. Eles não tem medo de arriscar a única vida que possuem porque sabem que não serão desiludidos."

Fazendo uma comparação com o dito popular, "a menina dos olhos", Francisco foi claro ao dizer que também se dirigirá as famílias dos jovens, "as suas comunidades eclesiais e nacionais, as sociedades nas quais estão inseridos os homens e mulheres, os quais, dependem do futuro desta nova geração."

"Os pais usam dizer por aqui que os filhos são como a "menina dos nossos olhos". Que bela expressão da sabedoria brasileira, que aplica aos jovens a imagem da pupila dos olhos, janela pela qual entra a luz do milagre da visão. O que vai ser de nós se não tomarmos conta de nossos olhos? Como deveremos seguir em frente?", indagou aos convidados sobre o futuro dos jovens.

O Santo Padre enfatizou a sua ideia aos participantes ao pronunciar: "a juventude é a janela pela qual, o futuro entra no mundo, e por isso, nos impõe grandes desafios."

O Pontífice, aproveitando a oportunidade, destinou um aviso aos governantes: oferecer a juventude fundamentos sólidos, sobre os quais, constituem a vida, além de garantir a eles a segurança e a educação: "Assegurar-lhes um horizonte transcendente que responda a sede de felicidade autêntica, suscitando Nele a criatividade do bem."

Finalizando sua homilia, o Papa Francisco lembrou que seus braços "se alargam para abraçar toda a nação brasileira, na sua complexa vivência humana, cultural e religiosa."

Depois de amanhã, no dia 24, o Santo Padre afirmou que terá "em mente recorda-lhes a todos a Nossa Senhora Aparecida, invocando sua proteção materna sobre seus lares e famílias."

"Desde já, abençoo a todos. Obrigado pelo acolhimento", concluiu o Papa. (LMI)

Gaudium Press / Esp

Gostou desta página? Então comente e participe da nossa família! Se ainda não é usuário, basta se cadastrar. É simples, rápido e gratuito! Se já é usuário, basta fazer seu login.