Medalha Milagrosa

Dioceses de Santa Catarina fazem transição de Símbolos da JMJ

A Peregrinação dos Ícones de Nossa Senhora e da Beata Albertina, acompanhadas da Cruz Peregrina, terminou na diocese de Joaçaba em Ponte Serrada (SC), no dia 28 de janeiro. Uma celebração no Morro das Cruzes transferiu os símbolos para diocese de Chapecó, a décima e última a recebê-los em Santa Catarina.

Na celebração, o bispo de Joaçaba, dom Mário Marquez lembrou o histórico da peregrinação pela diocese, que teve início em Monte Carlo (SC) três dias antes. Para ele, “o momento foi importante e significativo” que deve se repetir em Chapecó (SC). O bispo também citou que a Cruz serve de ponte. Na vertical, liga os homens a Deus e na horizontal liga os homens entre si.

A permanência da Cruz em Joaçaba contou vigílias, apresentações de teatro e uma caminhada de 3,5 quilômetros, entre a Catedral e a Igreja Matriz São José Operário, onde aconteceu uma missa. Uma carreata seguiu até à Paróquia Bom Jesus, em Herval do Oeste (SC).  O padre Davi Lenor, defendeu na homilia que os jovens precisam de formação para completar a “inspiração que Deus dá”. Entre as recomendações, ele sugeriu o curso de pós-graduação em Juventude, Cidadania e Religião oferecida pelo Instituto Teológico de Santa Catarina, em Florianópolis (SC).

A Cruz Peregrina e os Ícones de Nossa Senhora e da Beata Albertina permanecem em Santa Catarina até o dia 31 de janeiro, na diocese de Chapecó, quando serão enviados para o Regional Sul 2 da CNBB (Paraná). A despedida acontece depois de um mês depois da chegada, em Lages (SC).

CNBB

Gostou desta página? Então comente e participe da nossa família! Se ainda não é usuário, basta se cadastrar. É simples, rápido e gratuito! Se já é usuário, basta fazer seu login.