Medalha Milagrosa

Pesar do Papa pela morte do Cardeal Martini: insigne pastor e caro irmão, serviu generosamente ao Evangelho e à Igreja

Cidade do Vaticano, 01 set (RV) - Pesar não somente na Igreja pela morte do Cardeal Carlo Maria Martini, falecido na tarde desta sexta-feira no Aloisianum, Instituto dos Jesuítas situado em Gallarate, na província italiana de Varese. Já de há muito doente de Parkinson, o purpurado tinha 85 anos.

"Pensando com afeto neste caro irmão que generosamente serviu ao Evangelho e à Igreja – escreve o Papa num telegrama ao arcebispo de Milão, Cardeal Angelo Scola –, recordo com gratidão a sua intensa obra apostólica profusa qual zeloso religioso filho espiritual de Santo Inácio, experiente docente, respeitável biblista e apreciado reitor da Pontifícia Universidade Gregoriana e do Pontifício Instituto Bíblico e, depois, zeloso e sábio" arcebispo de Milão.

Bento XVI ressalta também o "competente e fervoroso serviço" prestado à Palavra de Deus por esse "insigne pastor", "abrindo sempre mais à comunidade eclesial os tesouros da Sagrada Escritura, especialmente através da promoção da Lectio divina".

Em seguida, o Papa recorda na mensagem a longa enfermidade do Cardeal Martini, por ele vivida "com ânimo sereno e com confiante abandono à vontade do Senhor".

Numa sua mensagem, o Cardeal Secretário de Estado Tarcisio Bertone ressalta que o Cardeal Martini "testemunhou e ensinou o primado da vida espiritual e, ao mesmo tempo, a escuta atenta do homem nas suas diferentes condições existenciais e sociais".

Entre as muitas mensagens de pesar, destaca-se também a do Presidente da República italiana Giorgio Napolitano, que define o falecimento do Cardeal Martini "uma dolorosa, grave perda não somente para a Igreja e para o mundo católico, mas para a Itália".

"Na metrópole lombarda – afirma o chefe de Estado – deixou a marca profunda da sua atividade pastoral tão inspirada e socialmente sensível." "Pessoalmente – conclui –, conservo na memória a recordação dos numerosos encontros e colóquios que tive com ele, na sede da arquidiocese milanesa, como Presidente da Câmara e, ainda mais, como Ministro do Interior, sobretudo acerca de temas relacionados à imigração. Todas as vezes obtive sugestões concretas e iluminadoras."

As exéquias do Cardeal Martini serão celebradas na segunda-feira, 3 de setembro, às 16h locais, na Catedral de Milão. O corpo será exposto na Catedral milanesa a partir do meio-dia deste sábado.

(RL) - Rádio Vaticano

Gostou desta página? Então comente e participe da nossa família! Se ainda não é usuário, basta se cadastrar. É simples, rápido e gratuito! Se já é usuário, basta fazer seu login.