Medalha Milagrosa

Bento XVI: ''A falsidade é a marca do diabo''

Castel Gandolfo, 26 ago (RV) – “A falsidade é a marca do diabo”, e foi essa a “culpa mais grave” de Judas. Neste domingo durante o Angelus o Papa Bento XVI se deteve sobre a figura de Judas, o Apóstolo que traiu Jesus, comentando a passagem evangélica sobre os discípulos que abandonaram Cristo não acreditando nas suas palavras sobre o seu ser “pão vivo descido do céu”.

“Por quê? Porque não acreditaram nas palavras de Jesus, que dizia: Eu sou o pão vivo que desceu do céu, aquele que come a minha carne e bebe o meu sangue viverá para sempre (cf. Jo 6,51.54). Essa revelação era para eles incompreensível, porque a entendiam apenas no sentido material, enquanto naquelas palavras foi pré-anunciado o mistério pascal de Jesus, no qual Ele daria si mesmo pela salvação do mundo”.

Como em outros casos, - continuou o Papa - é Pedro, a responder em nome dos Doze: “Senhor, para quem iremos? Tu tens palavras de vida eterna e nós cremos e sabemos que tu és o Santo de Deus” (Jo 6:68-69). Nesta passagem, temos um belo comentário de Santo Agostinho, que disse: “Vejam como Pedro, pela graça de Deus, por inspiração do Espírito Santo, compreendeu? Por que compreendeu? Porque acreditou. Tu tens palavras de vida eterna. Tu nos dás a vida eterna, oferecendo o teu corpo e o teu sangue. E nós cremos e conhecemos. Ele não disse: nós conhecemos e cremos, mas nós cremos e conhecemos. Nós cremos para poder conhecer; se, de fato, quiséssemos conhecer antes de crer, não teríamos conseguido nem conhecer, nem crer.

“Jesus – disse ainda o Papa aos fiéis reunidos no pátio interno da Residência Apostólica de Castel Gandolfo – sabia também que entre os doze Apóstolos havia um que não acreditava: Judas. Também Judas poderia ter ido embora, como fizeram muitos discípulos, ou melhor, deveria ter ido embora, se tivesse sido honesto”.

“Ao invés ficou com Jesus”- prosseguiu Bento XVI. Ficou não por causa da fé, nem por amor, mas com a intenção secreta de se vingar do Mestre. Por quê? Porque Judas se sentia traído por Jesus, e decidiu que, por sua vez, iria traí-lo.

“Judas era um Zelota, e queria um Messias vencedor, para guiar uma revolta contra os romanos. Mas Jesus tinha decepcionado essas expectativas. O problema é que Judas não foi embora, e sua culpa mais grave foi a falsidade, que é a marca do diabo. Por isso Jesus disse aos Doze: "Um de vós é um diabo" (Jo 6,70)”.

O Papa concluiu com o convite a rezar a Nossa Senhora, “para que nos ajude a crer em Jesus, como São Pedro, e a sermos sempre honestos com Ele e com todos” .Em seguida concedeu a todos a sua Benção Apostólica.

(SP) - Rádio Vaticano

Gostou desta página? Então comente e participe da nossa família! Se ainda não é usuário, basta se cadastrar. É simples, rápido e gratuito! Se já é usuário, basta fazer seu login.