Medalha Milagrosa

Papa: ''É Deus o maior milagre do universo!''

Castel Gandolfo, 08 jul (RV) – O encontro deste domingo do Papa com os fiéis se realizou no pátio da residência de verão. Foi a primeira oração do Angelus rezada em Castel Gandolfo nesta temporada de verão.

Bento XVI comentou um trecho do Evangelho de Marcos no qual Jesus retorna a Nazaré depois de um período em que pregou e realizou curas em outros lugares. Mas ao vê-lo voltar e ensinar na sinagoga, seus conterrâneos ficam escandalizados, pois o recordam como o filho do marceneiro.

“Nenhum profeta é bem aceito em sua casa e pelo povo que o conhece! Isto é compreensível porque a familiaridade no plano humano dificulta o ‘ir além’ e abrir-se à dimensão divina” – explicou o Papa. “Mesmo entendendo isso, Jesus se surpreendeu com a frieza com que foi recebido em Nazaré”.

Apesar de saber que nenhum profeta é bem aceito em sua pátria, o fechamento de coração de seu povo permaneceu para Ele obscuro e impenetrável: “Como é possível que não reconheçam a luz da Verdade? Por que não se abrem à bondade de Deus, que quis compartilhar nossa humanidade?”.

Este fechamento espiritual foi o motivo pelo qual Jesus não pôde realizar em Nazaré nenhum prodígio, tendo somente imposto as mãos a alguns doentes, curando-os.

Discorrendo sobre o episódio, o Papa fez uma observação sobre os milagres de Cristo, “que não são uma exibição de poder, mas são sinais do amor de Deus, que se concretiza quando encontra a fé do homem”.

De fato, o homem Jesus de Nazaré é a transparência de Deus, Nele Deus habita plenamente. “E enquanto nós buscamos sempre outros sinais, outros prodígios, não percebemos que o verdadeiro Sinal é Ele, Deus feito carne, é Ele o maior milagre do universo: todo o amor de Deus encerrado em um coração humano, em um rosto humano” – completou o Pontífice.

(CM) - Rádio Vaticano

Gostou desta página? Então comente e participe da nossa família! Se ainda não é usuário, basta se cadastrar. É simples, rápido e gratuito! Se já é usuário, basta fazer seu login.