Medalha Milagrosa

Audiência Geral: ''A oração nos dá a luz para entender o presente''

Cidade do Vaticano, 02 mai (RV) – A oração nos dá a luz para entender o presente. Palavras de Bento XVI pronunciadas na Audiência Geral, nesta quarta-feira, que reuniu na Praça S. Pedro milhares de fiéis e peregrinos.

Prosseguindo suas catequeses sobre a oração, hoje o Papa citou o exemplo de Santo Estevão, protomártir, que diante do tribunal que o condena, pede perdão para os seus algozes e reza: "Senhor Jesus, recebe o meu espírito".

Estevão explica a história da salvação, narrada na Bíblia, a partir da luz de Cristo, para demonstrar que Nele se cumprem as profecias antigas e se inaugura um novo culto, que substitui os antigos sacrifícios pela oferta de si mesmo na cruz.

Ao ser levado ao suplício, Estevão se une ao Senhor, e sua reflexão sobre a Escritura se converte em participação com a oração de Jesus em sua agonia, de modo que, movido pelo Espírito Santo, pode fazer suas as palavras que Cristo pronunciou na cruz, dirigindo-as agora ao Senhor Ressuscitado.

"Em nossa oração, somos chamados também a descobrir a ação de Deus na história, que tem seu ápice em Cristo e a confessá-lo como Senhor de nossas vidas", disse o Pontífice.

Não faltaram bandeiras brasileiras na Praça S. Pedro. Eis o resumo em português que Bento XVI fez de sua catequese, seguida de sua saudação:   

"Queridos irmãos e irmãs, do testemunho de Santo Estêvão – o primeiro mártir cristão –, podemos tirar algumas lições para a nossa oração e para a nossa vida. Por exemplo, aonde foi ele buscar força para enfrentar os seus adversários até ao martírio? Foi à sua relação com Deus, à meditação da história da salvação, à contemplação do agir de Deus que atingiu o seu ponto culminante em Jesus Cristo. De facto, retomando a oração de Jesus na cruz, Estêvão pede perdão para os seus algozes e reza: «Senhor Jesus, recebe o meu espírito». Embora seja retomada de Cristo, esta oração é dirigida ao próprio Jesus, que ele contempla glorificado à direita do Pai. Também a nossa oração deve ser contemplação de Jesus como Senhor da nossa vida diária, sentado à direita do Pai. Em Jesus, sob a guia do Espírito Santo, podemos também nós dirigir-nos a Deus com confiança de filhos que se dirigem a um Pai que os ama infinitamente.

Nesta comunhão com Cristo, dou as boas-vindas aos peregrinos de língua portuguesa, em particular aos grupos brasileiros de Fortaleza e Salgueiro. A todos saúdo e exorto a conhecer melhor e seguir o exemplo de Nossa Senhora neste mês de Maio, que Lhe é especialmente dedicado. Procurai vivê-lo com uma oração diária mais intensa e fiel, em particular pela reza do terço, conforme recomendação da Santa Igreja e desejo repetidamente expresso pela Virgem Maria. A esta exortação, junto os meus votos de todo o bem para vós e vossas famílias, com uma propiciadora Bênção Apostólica."

(BF) - Rádio Vaticano

Gostou desta página? Então comente e participe da nossa família! Se ainda não é usuário, basta se cadastrar. É simples, rápido e gratuito! Se já é usuário, basta fazer seu login.