Medalha Milagrosa

O Príncipe da Paz

Estamos no início de um Ano Novo!

Cantemos hinos de louvores por mais uma etapa de nossas vidas que viveremos: alegrias, lutas, sofrimentos, esperanças...

Feliz Ano Novo! São os votos que ecoam em todos os lugares.

A passagem de mais um ano foi comemorada com rojões, fogos de artifícios e músicas. Mas...mas..., queridos irmãos e irmãs da família da Campanha Religiosa de Nossa Senhora da Graças, mas... Em todos os corações de crentes e não crentes, mora uma pergunta.

Como será esse Ano? O que acontecerá? Teremos a paz?

Paz, paz, paz! Esse desejo é de todos. Afinal o que é paz?

Santo Tomás de Aquino explica que a paz é a tranquilidade da ordem. Assim se um homem estiver dormindo seu sono reparador, sua saúde em ordem, ali há paz, pois há uma tranquilidade e ordem. Diferente é um homem desmaiado, que na aparência parece dormir. Mas a realidade é outra! Há uma grande desordem, pois o organismo está abalado. Aí não há paz!

Agora a ordem é a disposição de algo para seu devido fim. Exemplifiquemos com uma caixinha de música. Ela estará em ordem quando todas suas peças estiverem ordenadas, para que a melodia saia quando acionada. Caso isso não se dê, não há ordem.

Quantas coisas no mundo de hoje parece ter uma aparente ordem, uma aparente paz e longe se está daquilo que tanto se procura...

Qual é a finalidade última do homem sobre a terra? Ensina-nos o Catecismo da Igreja Católica: Amar a Deus sobre todas as coisas nessa terra e gozá-lo por toda eternidade na outra vida!

O fim último do homem é Deus. A humanidade só terá a verdadeira paz, quando procurar todos os meios necessários para realização dessa meta. No livro Imitação de Cristo, encontramos este belo trecho do próprio Príncipe da Paz que nos ensina:

Filho, eu disse a meus discípulos: Eu vos deixo a paz; dou-vos a minha paz; não vo-la dou como a dá o mundo (Jo 14,27). Todos desejam a paz, mas nem todos buscam as coisas que produzem a verdadeira paz. A minha paz está com os humildes e mansos de coração. Na muita paciência encontrarás a tua paz. Se me ouvires e seguires a minha voz, poderás gozar grande paz. (Tomás Kempis, cap.5)

Peçamos, então, a Maria nossa Mãe que seja a estrela guia de nossas vidas, para encontramos a verdadeira paz, nesse vale de lágrimas e sobretudo que Ela nos conduza, após as lutas dessa vida à eterna bem aventurança: O Céu! 


Pe. Hamilton José Naville

Gostou desta página? Então comente e participe da nossa família! Se ainda não é usuário, basta se cadastrar. É simples, rápido e gratuito! Se já é usuário, basta fazer seu login.