Medalha Milagrosa

Viva a Rainha do Brasil!!!

Aparecida.jpgQuando o Brasil ainda era colônia de Portugal, no longínquo ano de 1716, o rei D. João V nomeou para Capitão Geral de São Paulo e Minas Gerais D. Pedro Miguel de Almeida Portugal e Vasconcelos, mais conhecido como o Conde de Assumar. Homem de elevada nobreza, mais tarde seria eleito Vice-Rei da Índia.

O Conde de Assumar tomou posse da Capitania de São Paulo no dia 4 de setembro de 1717, em seguida partiu com sua comitiva para Minas Gerais. No meio do caminho estava prevista uma parada em Guaratinguetá, para pernoitar.

Não era comum uma visita de tamanha importância naquelas terras... A Câmara Municipal de Guaratinguetá, muito pobre, viu-se de repente com a responsabilidade de abastecer ricamente a mesa daquele ilustre capitão. Surgiu então a ideia de oferecer-lhe uma refeição com os peixes do Rio Paraíba. Para tanto, foram convocados Domingos Garcia, Felipe Pedroso e João Alves, pescadores experientes da região.

Lançaram-se eles ao trabalho, mas navegaram pelo rio sem conseguir coisa alguma. Quando chegaram ao Porto de Itaguaçu, João Alves arremessou a sua rede na esperança de encontrar algum peixe. Após algum tempo de espera, sentiu que algo se prendera à sua rede. Puxou-a para o barco com ansiedade. Logo, porém, viu que não se tratava de um peixe, mas sim do corpo sem cabeça de uma imagem de Nossa Senhora da Conceição.

O mesmo João Alves arremessou mais uma vez a rede, pouco depois sentiu que novamente havia algo: Era a cabeça da imagem!

Os três pescadores lançaram novamente as redes e, dessa vez, para surpresa de todos, elas ficaram abarrotadas de peixes. Eram tantos que os três homens lembraram-se do episódio da pesca milagrosa, narrada no Evangelho.

No singelo relato por eles feito na época, contaram que por pouco o barco não afundou, tal era a quantidade de peixes que conseguiram pescar, graças à ajuda da Santíssima Virgem.

Cheios de alegria, foram à Câmara Municipal de Guaratinguetá levar os peixes e contar o ocorrido às autoridades competentes. No entanto, antes tiveram o cuidado de deixar a imagem com Silvana da Rocha, mãe de João Alves. Ali a enrolaram em panos e puseram num baú.

 Naquela casa fez-se o primeiro oratório de Nossa Senhora da Conceição Aparecida.  Esse nome foi-lhe dado justamente pelo fato de ela ter “aparecido” do fundo do Rio Paraíba.

O povo simples e devoto das redondezas passou a visitar a imagem a fim de rezar o terço e pedir graças a Nossa Senhora. Não demorou muito a acontecer casos de graças extraordinárias e milagres obtidos por intercessão da Aparecida.

A fama dos milagres se alastrou de tal forma que o vigário da paróquia, padre José Alves Vilela, construiu uma capelinha para a Imagem. Mais tarde, em 1745, foi edificada uma capela maior, no alto do Morro dos Coqueiros.

Em 1834 foi construída uma bela igreja que recebeu o título de Basílica Menor, em 29 de abril de 1928.

Para a felicidade de nós, brasileiros, no ano de 1929, o Papa Pio XI proclamou Nossa Senhora Aparecida Rainha e Padroeira do Brasil.

Com o crescimento da devoção à Virgem Mãe Aparecida, o número de romeiros aumentou de tal maneira que a Basílica Menor não comportava mais os visitantes. Por essa razão, no ano de 1955, os Missionários Redentoristas deram início à construção da atual Basílica, que é atualmente o maior santuário mariano do mundo.

Em 1980, foi decretado o dia 12 de outubro feriado nacional.

Da Redação

Gostou desta página? Então comente e participe da nossa família! Se ainda não é usuário, basta se cadastrar. É simples, rápido e gratuito! Se já é usuário, basta fazer seu login.
daniele
  -   13 de maio de 2013

sou devota a minha nossa senhora de aprecida sem ela nada sou me ajudou muito principalmente quando meu filho nasceu e ficou enternado no hospital pedi tanto a ela que me ajudasse e hoje graças a ela meu filho tem uma otima saude