Medalha Milagrosa

Vocações contemplativas: trocar o rumor do mundo pelo silêncio do claustro

Lisboa, 31 mai 2011 (Ecclesia) - A Igreja em Portugal promove, tal como noutros países e a exemplo de anos anteriores, a jornada de oração pela vida contemplativa, dia 19 de junho.

Na mensagem para este dia, D. António Francisco Santos, bispo de Aveiro e presidente da Comissão Episcopal Vocações e Ministérios, refere que “a vida contemplativa é um dom para a Igreja e uma bênção para o Mundo”.

Subordinada ao tema «A vida contemplativa é esta memória viva do mistério de Cristo», a mensagem do prelado realça também que viver esta jornada como momento para “semear a esperança e cultivar o terreno fecundo onde surjam novas vocações é um imperativo que a Igreja não esquece”.

Consciente e conhecedor desta certeza, Paulo VI lembrou, nos momentos decisivos do Pós-Concílio, que “é no coração dos contemplativos que se decide a sorte da Igreja”.

D. António Francisco Santos escreve que “surpreende muita gente que haja hoje homens e mulheres, alguns tão jovens, que traduzem nas suas vidas este doce encanto da contemplação, trocando o rumor do mundo pelo silêncio do claustro e percebendo que não é dos que muito se afadigam com as coisas que depende o futuro do mundo novo que somos chamados a construir”.

Se a “ânsia do ter e a sofreguidão do fazer” não derem lugar ao ser de cada pessoa e ao “viver em comunhão”, o mundo “dificilmente encontrará espaço para Deus e futuro para o Homem” – lê-se.

Nesta hora de apelo a uma “renovada evangelização” e na oportunidade de um “repensar em comum da pastoral na Igreja em Portugal, urge dar à vida contemplativa um lugar primordial na oração e na gratidão de todos nós” – acrescenta o presidente da comissão.

A Jornada de Oração pela Vida Contemplativa celebra-se na solenidade da Santíssima Trindade.

LFS - Agência Ecclesia

Gostou desta página? Então comente e participe da nossa família! Se ainda não é usuário, basta se cadastrar. É simples, rápido e gratuito! Se já é usuário, basta fazer seu login.