Medalha Milagrosa

Regina Caeli: Apelo do Papa em favor da Líbia e da Síria

Cidade do Vaticano, 15 mai - Bento XVI assomou ao meio-dia deste domingo à janela de seus aposentos para rezar com os milhares de fiéis, peregrinos e turistas presentes na Praça São Pedro a oração do Regina Caeli.

O Papa fez um novo veemente apelo diante da situação na Líbia e na Síria. Em suas palavras, o Dia Mundial de Oração pelas Vocações – celebrado neste domingo do Bom Pastor, e a recordação do sacerdote alemão hoje beatificado. O Pontífice pediu a todos que não esqueçam Deus em nosso mundo tecnológico e que rezem por todos os bispos, inclusive pelo Bispo de Roma.

De fato, na alocução que precedeu a oração mariana, o Santo Padre disse acompanhar com grande apreensão o dramático conflito armado que, na Líbia, tem causado um elevado número de vítimas e de sofrimentos, sobretudo entre a população civil:

"Renovo um premente apelo a fim de que o caminho da negociação e do diálogo prevaleça sobre o da violência, com a ajuda dos Organismos internacionais que estão atuando na busca de uma solução para a crise. Ademais, asseguro a minha orante e comovida participação no empenho com o qual a Igreja local assiste a população, em particular mediante as pessoas consagradas presentes nos hospitais."

O Pontífice fez um apelo também voltado para a Síria, onde é urgente restabelecer uma convivência marcada pela concórdia e pela unidade:

"Peço a Deus que não haja ulteriores derramamentos de sangue naquela pátria de grandes religiões e civilização, e convido as autoridades e todos os cidadãos a não pouparem nenhum esforço na busca do bem comum e no acolhimento das legítimas aspirações a um futuro de paz e de estabilidade."

Com o pensamento voltado a todos, o Papa ressaltou que a voz de Deus no mundo de hoje "corre o risco de ser sufocada em meio a tantas outras vozes":

"Os homens sempre precisam de Deus, também em nosso mundo tecnológico, e sempre se precisará de Pastores que anunciem a sua Palavra e façam encontrar o Senhor nos Sacramentos."

E, em particular, no Dia Mundial de Oração pelas Vocações convidou à oração, "a fim de que jamais faltem válidos operários na messe do Senhor".

"Convido-os, portanto, a uma oração especial pelos Bispos – inclusive pelo Bispo de Roma! –, pelos párocos, por todos aqueles que têm responsabilidade na condução do rebanho de Cristo, a fim de que sejam fiéis e sábios no cumprimento de seu ministério."

Bento XVI recordou que Jesus é o Bom Pastor de seu rebanho, como ressalta a Liturgia deste domingo, e jamais o abandona. E explicou a primeira coisa a ser feita para seguir Jesus:

"A escuta da sua palavra, da qual a fé nasce e se alimenta. Somente quem é atento à voz do Senhor é capaz de avaliar na própria consciência as justas decisões para agir segundo Deus. O seguir Jesus deriva, portanto, da escuta: age-se como discípulo após ter ouvido e acolhido interiormente os ensinamentos do Mestre, para vivê-los diariamente."

o Pontífice recordou a repercussão mundial que teve a Beatificação de João Paulo II no início deste mês para ressaltar que existem outros exemplos menos conhecidos de testemunhas exemplares, como o fundador da Sociedade das Divinas Vocações, Pe. Giustino Maria Russolillo, Beatificado no último dia 7, e o sacerdote alemão Georg Haefner, Beatificado neste domingo em Wurzburg, cidade da Baviera, sul da Alemanha.

Nas saudações em várias línguas, o Papa fez reflexões e convites à oração pelas vocações. Dirigindo-se aos de língua polonesa exortou a pedirmos a Cristo Ressuscitado que desperte nos corações de numerosos jovens o desejo de doar-se exclusivamente a serviço de Deus. "Resplendeçam como luz para o mundo de hoje, como testemunhas de Cristo que é a porta que conduz todos à salvação. Abençôo de coração suas orações pelas vocações" – afirmou.

O Santo Padre concedeu a todos a sua Bênção apostólica. (RL)

Rádio Vaticano

Gostou desta página? Então comente e participe da nossa família! Se ainda não é usuário, basta se cadastrar. É simples, rápido e gratuito! Se já é usuário, basta fazer seu login.