Medalha Milagrosa

Dom Murilo Krieger é o novo arcebispo de Salvador

      O papa Bento XVI nomeou nesta quarta-feira, 12, o arcebispo de Florianópolis (SC), dom Murilo Sebastião Ramos Krieger, 67, novo arcebispo de Salvador (BA) e primaz do Brasil [título ao arcebispo de Salvador - por ser esta a primeira diocese criada no Brasil]. Ele sucede o cardeal dom Geraldo Majella Agnelo, 77, que teve sua renúncia aceita pelo pontífice por limite de idade (75 anos), conforme o Código de Direito Canônico, cânon 401.

Dom Murilo Krieger nasceu em Brusque (SC) em 19 de setembro de 1943. Foi ordenado presbítero em 1969 e sua nomeação episcopal aconteceu no dia 16 de fevereiro de 1985. Ele é arcebispo de Florianópolis desde fevereiro de 2002.

Nos estudos, o novo arcebispo de Salvador fez filosofia em Brusque, teologia no Instituto Teológico SCJ, em Taubaté (SP); especialização em espiritualidade em Roma [Itália] e letras, na Faculdade Anchieta de São Paulo (SP).

Como bispo, dom Murilo foi auxiliar de Florianópolis (1985 - 1991); bispo de Ponta Grossa (PR) (1991 - 1997); presidente do Regional Sul 2 (Paraná) em (1995 - 1999); e (1999 - 2002); arcebispo de Maringá (PR) (1997 - 2002); presidente do Regional Sul 4 (Santa Catariana) de (2007 - 2011).

Dez livros já foram publicados por dom Murilo, entre eles, Deixa meu povo ir (Paulus); O primeiro, o último, o único Natal ( Loyola); Com Maria, a mãe de Jesus (Paulinas). Seu lema episcopal é "Deus é amor". A posse de dom Murilo está marcada para o dia 25 de março.

Cardeal Geraldo Majella Agnelo

Dom Geraldo Majella nasceu em 1933, em Juiz de Fora (MG). Foi ordenado padre em 1957 e nomeado bispo 1978, ambas em São Paulo.

Dom Geraldo foi bispo de Toledo (PR), arcebispo de Londrina (PR); presidente da Comissão Litúrgica da CNBB; secretário da Congregação para o Culto Divino e Disciplina dos Sacramentos, em Roma; vice-presidente do Regional Sul 2 da CNBB (Paraná); segundo vice-presidente do Conselho Episcopal Latino-Americano (CELAM); membro do Pontifício Conselho da Pastoral para os Migrantes e os Itinerantes e presidente da CNBB de 2003 a 2007.

Após 54 anos de vida religiosa, dom Geraldo deixa inúmeros livros, artigos e teses publicados, como o "Liturgia, Serviço Cultural do Povo de Deus"; Pastoral dos Sacramentos" e Os Sacramentos e os Ministérios de Santo Ambrósio. Seu lema episcopal foi "A caridade com a fé".

 CNBB

Gostou desta página? Então comente e participe da nossa família! Se ainda não é usuário, basta se cadastrar. É simples, rápido e gratuito! Se já é usuário, basta fazer seu login.