Medalha Milagrosa

As palavras não são suficientes

· Durante o voo de regresso o Pontífice denunciou a hipocrisia de quem pede a paz e fomenta a guerra ·

8 de Junho de 2015

20150610 - As palavras não são suficientes. jpeg.jpgDurante o voo de Saravejo para Roma, o Papa Francisco encontrou-se com os jornalistas a bordo do avião, numa conferência introduzida pelo director da Sala de imprensa da Santa Sé, padre Federico Lombardi. A seguir apresentamos a transcrição da mesma.

[Silvije Tomaševi?]

Boa noite, Santidade! Naturalmente vieram aqui [a Sarajevo] muitos peregrinos croatas, que perguntam se Vossa Santidade virá à Croácia.... Entretanto, dado que estamos na Bósnia-Herzegovina, há também grande interesse pelo juízo sobre o fenómeno de Medjugorje.

Sobre o problema de Medjugorje, o Papa Bento XVI fizera, há tempos, uma comissão presidida pelo Cardeal Camillo Ruini; havia nela ainda outros cardeais, teólogos e especialistas. Fizeram o estudo e o Cardeal Ruini veio ter comigo e entregou-me o estudo, depois de tantos anos - não sei bem, 3-4 anos mais ou menos. Fizeram um bom trabalho, um bom trabalho. O Cardeal Müller [Prefeito da Congregação para a Doutrina da Fé] disse-me que convocaria uma «feria quarta» [uma reunião propositada] nestes dias; acho que se fez na última quarta-feira do mês [de Maio]. Mas não tenho a certeza... [Nota do padre Lombardi: de facto ainda não se realizou a tal «feria quarta» dedicada a este assunto]. Estamos prestes a tomar decisões. Depois serão comunicadas. Por enquanto só se dão algumas orientações aos bispos sobre as directrizes que serão tomadas. Obrigado!

[Silvije Tomaševi?]

E a respeito da visita à Croácia?
A visita à Croácia? Não sei quando terá lugar. Agora lembro-me da pergunta que vós me fizestes quando fui à Albânia: «Porque começa a visita à Europa por um país que não pertence à Comunidade Europeia?»; e eu respondi: «É um sinal. Eu quereria começar a fazer as visitas à Europa, iniciando pelos países mais pequenos, e os Balcãs são países martirizados, sofreram tanto!». Sofreram tanto... A minha preferência está nisto. Obrigado!

[Anna Chiara Valle]

Ao falar de quem deliberadamente fomenta o clima de guerra, disse aos jovens: temos os poderosos que falam abertamente de paz, mas por detrás comercializam as armas. Pode-nos aprofundar um pouco mais este conceito?
Sim, há hipocrisia, sempre! Por isso, afirmei que não é suficiente falar de paz; deve-se fazer a paz! E quem só fala de paz e não faz a paz, cai em contradição; e quem fala de paz e promove a guerra - por exemplo, com a venda das armas - é um hipócrita. É tão simples...

[Katia Lopez]

Santo Padre, no seu último encontro com os jovens, falou detalhadamente da necessidade de prestarem muita atenção aquilo que lêem, àquilo que vêem: não pronunciou exactamente a palavra «pornografia», mas disse «fantasia nociva». Pode aprofundar um pouco mais este conceito da perda de tempo?
Temos a ver aqui duas coisas diferentes: as modalidades e os conteúdos. Quanto às modalidades, há uma que faz mal à alma, ou seja, estar demasiado apegado ao computador. Demasiado apegado ao computador! Isto faz mal à alma e tira a liberdade: torna-te escravo do computador. É curioso que muitas famílias, os pais e as mães, me dizem: encontramo-nos à mesa com os filhos e eles, com os seus telemóveis, estão noutro mundo. É verdade que a linguagem virtual é uma realidade, e não a podemos negar: temos de guiá-la para o caminho certo, porque é um progresso da humanidade. Mas quando isto nos afasta da vida comum, da vida familiar, da vida social, e também do desporto, da arte e permanecemos apegados ao computador, esta é uma doença psicológica. Claro! Segundo: os conteúdos. Sim, há coisas porcas, que vão da pornografia à meia-pornografia, aos programas vazios, sem valores como, por exemplo, programas relativistas, hedonistas, consumistas que fomentam todas estas coisas. Sabemos que o consumismo é um cancro da sociedade, o relativismo é um cancro da sociedade... Disto mesmo falarei na próxima encíclica, que sairá a público este mês. Não sei se respondi. Eu disse a palavra «porcaria» referindo-me a algo em geral, mas todos sabemos de que se trata. Há pais, muito preocupados, que não permitem computadores no quarto das crianças; os computadores devem estar num espaço comum da casa. São pequenas ajudas de que os pais lançam mão para evitar precisamente isto.
Depois, o Pontífice acrescentou:

Agradeço o vosso trabalho, a vossa canseira nesta viagem... Muito obrigado pelo vosso trabalho, muito obrigado! E rezai por mim! Obrigado!

Respondendo por fim a uma pergunta de Caroline Pigozzi sobre a possibilidade de uma viagem à França o Papa disse:
Sim, sim, tenho em programa ir à França. Prometi aos bispos. Não, não há problema. Os pequenos problemas não são um problema.
- See more at: http://www.osservatoreromano.va/pt/news/palavras-nao-sao-suficientes#sthash.XOdKVtdm.dpuf

Gostou desta página? Então comente e participe da nossa família! Se ainda não é usuário, basta se cadastrar. É simples, rápido e gratuito! Se já é usuário, basta fazer seu login.